terça-feira, 23 de setembro de 2008

o divórcio do crónico

gaudi - imagem google
.
Ao fim de trinta anos de sofrimento, descobriram a cura.
Suicidou-se.
Já não sabia viver sem a doença.

.

6 comentários:

Silvio Vasconcellos disse...

Me lembra aqueles velhas senhoras que passaram 3o anos cuidando do marido acamado e quando ficam viúvas, morrem em seguida...

~pi disse...

é comum não saber viver sem sofrer -

[ por força das circunstâncias e voto do hábito!!

e por incrível que pareça!


~

detesto anonimos! disse...

...nao sei bem porquê mas isto fez-me lembrar o meu casamento!
.
.
.
.
.
.
.
.
.
...ao fim de muito pensar continuo sem saber porquê...

*Raíssa disse...

Tem gente que gosta de sofrer, né. Fazer o quê?

Maria disse...

Primo Levi sobreviveu a auschwitz, para se suicidar anos mais tarde. Dificil de entender :(

Alex Pinheiro disse...

Mew,,, Anaaaa... Iso foi ge-ni-al!
Adoro essa letra brincada, mesmo que com humor negro e revolta,,,
Prefiro ficar com os gracejos que a palavra permitiu aqui...
Amei mesmão!

Bjos e maximizadas invenções!