quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Perfídia

imagem: www


Hoje ela resolveria o problema.
Saiu com toda coragem e a arma na bolsa.
Seguiu o marido que entrou sozinho no cinema.
Filme pornô - na sessão da tarde.
Ele saiu suado, olhar morno e satisfeito.

6 comentários:

Silvio Vasconcellos disse...

Fica no ar a perplexidade... Imagine a sensação dela ao ver que uma tela e um ambiente com cheiro de pipoca velha seria capaz de compor uma satisfação que provavelmente ela também já não tinha. Quantos casos assim acontecem? Basta ver a saída desses cinemas ou vasculhar MSN, chats e sites de relacionamentos durante as madrugadas.
Nossa! Esse post daria assunto para um ensaio! Parabéns, Ana! De um microconto fizeste uma supercrônica.

*Raíssa disse...

Pra gente ver que até homem casado vai nesses lugares fazer essas coisas hahaha

Ro Druhens disse...

Que blog bárbaro!!!!!

heretico disse...

e a pistola caiu murcha? lol

Pedro disse...

Pelo visto, a coisa esquentou. Não bem do jeito planejado, mas esquentou.

PALAVRAS&POESIAS disse...

Voltando de férias, agradeço os comentários.
Acho que o melhor, quem tira dos minicontos são mesmo os leitores. Fico realizada quando consigo provocá-los.
Abraço meu.
Ana Mello.