segunda-feira, 30 de agosto de 2010

À DERIVA...




Quando o telefone tocou, ele atendeu sussurrando.

Logo saiu dela sem dar explicações e sumiu na noite.

E minutos antes havia lhe jurado amor.


5 comentários:

Dani Brito disse...

hahaha...homens!!

Mini visita aqui
;)

heretico disse...

o que prova que o telefone não satisfaz...

contagotas disse...

Memória curta. Juras com dedos cruzados.

Angela disse...

Quem sabe dentro dela estava frio?!
Palavras o vento leva!

Yu disse...

Amor jurado... Jurado de morte!
Morreria ao nascer do sol, mas o telefonema adiantou seu fim.