segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Des-encontro



Encontrou-o na porta do quartel e o levou para casa.

Mas o homem dos coturnos chutou-o até a morte.

E roubou o que podia.


7 comentários:

Angela disse...

Conto terrível e muito bem sintetizado. Verdadeiro. Não se pode confiar em quase nada nem ninguém.

Casa de Mariah disse...

Ela morreu sem entender o que era ingratidão!

Silvio Vasconcellos disse...

doeu...

contagotas disse...

Mal agradecido!!!

Moita disse...

Silvio, Lu

Notei que aqui, até os comments são minimiz... rsss

Moita disse...

Adoro olhar pra aquela foto da LU de cócoras na Praia. Questão de pedofilia. Não contem a ninguém. rsss.

LU, Silvio,

1 Cheiro

Moita disse...

Ah! Ia esquecendo!

Tenho muita dificuldade de lidar com perdas. Não desapareçam. rsss

Outro cheiro