domingo, 3 de abril de 2011

Ânsia




Ela sofria muito com dores imaginárias; as reais, ela suportava muito bem.

convidado de domingo:
O Moita

9 comentários:

Moita disse...

rsssssss

Oi eu aí. rssss

É verdade. Ela sofria muito com essa dores, com ciúmes imaginários, principalmente. rss

Moita disse...

Ou será? Que ciúmes imaginários seria pleonasmo vicioso? Ou não? rssss

Maybe a Lu Cordeiro mate essa charada. kkkkkkkk

Silvio Vasconcellos disse...

As dores que residem na alma, não têm remédio terreno. Elas são feitas de fluidos amargos, que consomem com acidez a superfície macia que o carinho levou tanto tempo para sedimentar.

Moita disse...

Esse é o Silvio poeta.
Ele, talvez, nem saiba que é poeta. Mas pra que saber?
De repente, nem vale a pena saber.
Ou não! rssssssssss

choco disse...

muito bom
muito bom
:)

LuCordeiro, disse...

Moita,amigo,há emoções que causam dor.A imaginação pode pregar peças.O ciúme é uma delas.E o ciumento sofre,sim.Assim como a saudade e a dúvida,o ciúme provoca dor real.Mas a imaginação é o grande catalizador desses sentimentos tão doídos.
bjsss (isso aqui está cada vez melhor!)

Angela disse...

Achei muito bom este teu mini!
O imaginário, muitas vezes e para alguns, é tão ou mais real que qualquer matéria.

E o Silvio poetiza bem demais,é mesmo!

J.R. Lima disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
J.R. Lima disse...

o que importa é sofrer, a causa escolhida, como a técnica, naturalmente vai variar de uma pessoa para outra!