segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

~






[talvez se ao Vez o(corresse
a tranquila serenez
da fonte que corre em fio
não iria agora seco


(em vez de ser Vez cantante)
no leito branco varrido]



~

5 comentários:

Angela disse...

Não conheço o rio Vez, mas o poema ficou muito lindo e quem sabe, um dia, os rios voltem a ser serenos e limpos?

~pi disse...

o rio Vez passa em Arcos de Valdevez, Ângela..., Norte de Portugal, Minho...

e sim voltarão a ser serenos e limpos e até a ter água a correr... sim, que há que crer!:-)






~

Angela disse...

Assim é meu desejo...

Rayuela disse...

alguna vez
(tal vez)
crecerá el río
de una vez*

Olhar... disse...

Era uma Vez...

;)