quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Interrogatório



- Doutor, como eu posso ser acusado de tirar a vida dela se a vida a ela não pertencia? Era só minha, há muitos anos.

2 comentários:

heretico disse...

credo! antes a "burka" lol

Silvio Vasconcellos disse...

Interpretei como uma eutanásia... Alguém a velar um semimorto ou semivivo... Triste. Já vi casos em família onde a pessoa cuidou por 30 anos de alguém inválido e quando se foi, acabou indo junto em 3 meses.