segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

perspectivas


Quando criança, contava os anos para os quinze.
Aos vinte, os meses para as férias.
Aos quarenta, os dias para a sexta-feira.
Aos setenta, conta as horas entre remédios temendo contar gotas do soro.

4 comentários:

Angela disse...

perfeita relação com o tempo!
Até porque, quando crianças, as horas entre remédios são contadas pelos pais!

Ministério da saúde disse...

Olá Blogueiro,

As enchentes fizeram centenas de vítimas nos últimos dias. Para impedir que a situação se agrave é preciso que os sobreviventes saibam como lidar com esta realidade e tomar as medidas de prevenção necessárias para evitar doenças graves. E você, blogueiro, pode ser nosso parceiro nessa divulgação e nos ajudar a salvar vidas. Caso queira participar desta ação, entre em contato com o comunicacao@saude.gov.br que enviaremos o material necessário.

LuCordeiro: disse...

Dependendo dos "setenta",pode contar suas memórias nada santas.Como a Olegária,por exemplo. :-)

iazla disse...

Chegando aos setenta, conta-se horas entre remédios mas também conta as histórias aos de quarenta,vinte e aos
inocentes também, né?