domingo, 18 de setembro de 2011

A’fã


Suas vidas eram um livro aberto.
E ela o queria sempre à mão:

seu livro
à cabeceira;

o autor

em seu travesseiro.

Convidada de domingo:
Ariadne Carvalho
blog:

3 comentários:

heretico disse...

eu seu travesseiro?! nada mau - se fosse no cabide seria bem pior...

Angela disse...

Gulosa!
com marcador de páginas ou sem?

Olhar... disse...

Ah.. o Marcador de páginas é necessário, entre uma lida e um suspiro...
;)