segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Florista do Leblon



Vinha de bicicleta.
Pelo caminho, deixava o aroma.
Na chegada, vendia flores e doava sorrisos.
Ao partir, coloria apartamentos solitários em que flores eram companhia e lembrança de sua alegria.

3 comentários:

LuCordeiro, disse...

Espalhava alegria na forma de flores.
Pouca gente faz isso. Ótima lembrança,Sílvio!

Angela disse...

Não pode haver rastro mais lindo!

Olhar... disse...

Esse ''deixava o aroma'' tornou tudo muito mais delicado.
Adorei! Você conseguiu me fazer sentir cores e ver cheiro de flores enquanto lia.
;)