quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

O duplo

link do proprietário na imagem


Longe, com saudades, encontrei outro igual, quase igual.
Mais perto, o olhar denunciou a farsa.
Ninguém faz meu coração bater como ele.

4 comentários:

Silvio Vasconcellos disse...

Nossos olhos que nos traem. Procuramos os iguais... iguais ao que idealizamos. Mas, de perto, ninguém é normal, muito menos moldável ao que desenhamos. Então, aquele outro, ou outra, que lá atrás deixamos nos parece tão mais perto do que sonhamos... É o "efeito nostalgia", aquela doce poesia que guardamos nos álbuns de fotografia.

João Menéres disse...

O SILVIO já disse tudo.
Bj e Ab.

Portaria ILEGAL disse...

Bom blogue

PALAVRAS&POESIAS disse...

O Sílvio responde com minicontos.E anda muito romântico.
Obrigada!
Abraço meu.
Ana Mello