segunda-feira, 27 de abril de 2009

Con-ver-s-ando


Por um segundo, quis conversar com a morte. Saber de seu silêncio, sua porta, sua hora. Deitou, fechou os olhos... sentiu um arrepio e acordou-se ouvindo o vento. Deixou a conversa para outra hora: não ouvira ela chamar.

3 comentários:

PALAVRAS&POESIAS disse...

Gostei Sílvio, casou bem com a imagem.
Abraço da Ana Mello.

Mariah disse...

não se iluda...o que se encontra no fim do túnel é a continuação da paisagem que existia um pouco antes do final.

LuCordeiro disse...

Queridão,felizmente vc não a ouviu e "ela" se foi talvez engolida pelo vento que a levou através do túnel.E a morte não sobrevive onde há sol.Gostei da alegoria.Vc é um mestre nisso.
Beijos,meu amigo.