domingo, 7 de dezembro de 2008


~


muito pequeno

habitava um anjo

- curto e descalço

(( penas de asa enfiadas

em elástico branco

( nem sempre transportava

aquele excesso à volta da cabeça )(

por dentro dos múltiplos do silêncio

elevava a mala da música

solene e hirto

com uma balança na mão direita

e borboletas distraídas nos dedos




~

10 comentários:

~pi disse...

assim juca, como o senti hoje,
meu amigo poeta do piano, que

um destes dias
se elevou, leve e musical, por cima do muro,

(definito e sorridente, a subir, até perder de v i i i s t a,

luCordeiro disse...

Só mesmo um anjo pode levar borboletas distraídas nos dedos.Aos outros,cabe apenas admirá-las.

observatory disse...

ps: q bem PIas.


foi-se para looooooooooooooonge

o amigo

um dia tambem vou.

BEIJO

mariam disse...

~Pi,
aqui!
tenho ido ao outro, mas...

adorei a imagem das "penas de asa enfiadas em elástico branco"! tenho a mania dos elásticos!

Pi, uma perguntita só, esteve na livraria Barata no passado dia 5(?!)

boa semana
um abraço e um sorriso :)

mariam

entre dentes disse...

Juca tão perfeito, melhor, tão perfeitamente!

* hemisfério norte disse...

e

vo
ou

:)
bj
a.

Ana disse...

Sempre belos os teus voos. Tal como o dos anjos e o das borboletas.

D. disse...

Enfim encontei você.
Levo.

D.

andorinha disse...

As asas que habitam as tuas palavras.

vida de vidro disse...

Um anjo com borboletas distraídas nos dedos. Coisa linda e tão tua... **