segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Velho baú

Caixas na sala, móveis desmontados, cansaço...
À espera do caminhão de mudanças, sentou-se no chão e olhou as paredes.
Queria deixar o passado, mas por precaução, levaria o porta-retrato.
.

7 comentários:

J.R. Lima disse...

Como deixar o que não nos deixa?

Anônimo disse...

Muito bom...
Dôra Limeira

Everaldo Ygor disse...

Vou levando a poesia toda...
Belo...
Abraços
Everaldo Ygor

luCordeiro disse...

Sílvio,o Sumido de mim,não adianta a mudança:sempre carregamos nossas lembranças.Bom é qdo podem ficar contidas num pequeno porta-retratos.
bjsss

*Raíssa disse...

A coisa mais comum do mundo - não deixar as lembranças.

* hemisfério norte disse...

lição nº 1

- não levar o retrato

eeheheh

bj
a.

PALAVRAS&POESIAS disse...

Tinha esquecido de comentar, muito bom esse teu miniconto.
Gosto de imagens, dos minicontos que vão montando uma boa fotografia.
Beijocas da Ana Mello.