sábado, 2 de agosto de 2008

_ . ____

imagem: Hugo Dias


Era a pessoa mais maravilhosa do mundo.

Nunca mais se viram e ninguém jamais esteve à altura.


9 comentários:

Pedro disse...

Uma pena nunca mais terem se visto. Ou talvez isso tenha ajudado a conservá-la maravilhosa.

*Raíssa disse...

Acontece muito, principalmente com os homens que não sabem dar valor às mulheres.

Ricardo Rayol disse...

triste vida essa.

Bill Stein Husenbar disse...

É triste mas... é verdade.

Este post é maravilhoso. É caso para dizer que uma imagem vale mais que 1000 palavras.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

Priscila Lopes disse...

A famosa - e perigosa - idealização do Amor.

Tiago disse...

Os ideais, por vezes não são mais que utopias forçadas.

Silvio Vasconcellos disse...

Nas portas que cruzamos diariamente, vamos traçando o destino. Se voltarmos não encontraremos mais o mesmo caminho. Os amores que não vivemos, os beijos que não trocamos, os momentos que não compartilhamos, nada, nada disso saberemos. Como disse a Priscila, os ideais do amor que desenhamos moram em nós e raramente encontram a alma perfeita para poder viver a realidade. Estará em outra porta e mais outra e mais outra, num caminho que nunca passamos.
A felicidade é encontrar a porta possível e nela viver bons momentos, com a maior intensidade e o maior número de vezes que sejamos capazes de provocar, porque a plenitude do amor está dentro de nós, no ideal que forjamos ao longo da vida. Se nós e a pessoa que desejamos trilhar esse rumo formos suficientemente tranquilos sobre isso, seremos capazes de suportar as rochas, as corredeiras, os penhascos, os desertos, as montanhas e os furacões que a estrada nos oferece.

* hemisfério norte disse...

ficou
nu só

bj
a.

Rubens da Cunha disse...

muito interessante sua linguagem nos minimínimos. tenho praticado também, e, sem dúvida, é uma escrita viciante.
abraços