sexta-feira, 30 de maio de 2008

Sem sonhos


.
.
Cai a noite e com ela bombas. Nas sombras, riscos de luz procuram corpos a mutilar.
Em seu travesseiro a criança procura no sonho a fuga, mas o que encontra é o pesadelo de não saber se vai acordar.
.

10 comentários:

* hemisfério norte disse...

não tenho palavras para a falta de sonhos e muito menos quando se trata de sonhos para crianças.
não são assim tantos os artigos da convenção dos direitos da criança.
-
amanhã é o dia mundial da criança - num mundo onde ainda existem crianças-escravos, onde morrem diariamente de sede e fome, onde persistem os maus tratos familiares e não só, onde faltam os cuidados médico, onde existe a exploração pelo trabalho infantil....
....
...onde muitos não conhecem a paz, os brinquedos, os laços e os abraços.
-
bom post o de hoje!
bjs
a.

Ricardo Rayol disse...

extremente angustiante

Yara disse...

lindo e triste...

J.R. Lima disse...

e quem mundo a espera, se acordar?

bonito post.

Raiz disse...

eis que ameaçam as nossas crianças.
mal sabem eles...
o quanto bélico são nossos sonhos de mudança.

~pi disse...

como a viva vida [ pesad


elo




~

Pedro disse...

Deve ser a pior sensação dormir sem saber se vai haver amanhã.

J. disse...

Parabéns a todos os autores do blogue por este excelente espaço.
As ilustrações dão vida aos textos, que por si só já são excelentes. ;)

José Antonio Klaes Roig disse...

Caríssimo!!! Simplesmente fantástico esse texto. Mescla de realismo mágico com prosa poética , que eleva as palvras ao seu devido lugar: a metáfora vida da existência. Só um grande poeta para transpor o que pensa para a escrita e ainda sim, torná-la mais ampla ao seu leitor. Parabéns. Virei fã! Um abraço, Zé Roig.
http://controlverso.blogspot.com

José Antonio Klaes Roig disse...

Ah, esqueci-me de dizer que, já conhecendop teu blog, visitei-o hj por acaso, buscando uma imagem para ilustra um texto de uma amiga e parceria das letras no blog R.E.M. - Rápido Movimento do Olhar e usei a imagem da porta entreaberta para o texto "Nunca Mais". Depois veja como ficou lá. Um abração, Zé.
http://rapido-olhar.blogspot.com